domingo, setembro 24, 2006

Deus. Obrigado pela dádiva que me concedeste

Estamos de regresso.

"Tumoracion de cuadrante posterolateral derecho tercio distal de recto, que afecta al 50% de la circunferencia que se extiende desde la linea pectinea hasta 5-6 cm por encima de ella y que presenta un estadio endoscópico T2, sin evidencia de adenopatias.
Tumoración de aspecto vellositario en ampolla rectal, que en algunas zonas afecta al 80% de la circunferencia rectal.
Polipo juvenil solitario
Polipo adenomatoso con dsplasia leve"

Era o que eu tinha, pela descrição médica.

Pelo que o médico espanhol disse ao meu médico, quando viu o resultado das "n" biópsias que me fez em Espanha, nem queria acreditar no que via.
Quase de certeza, para ele e pela sua experiência, que seria maligno, mas... era tudo benigno.
O polipo grande que eu tinha já andava comigo desde criança.
Evoluiu e "criou" um tumor.
Há imensos anos que eu tinha isto sem saber.
Em todos os aspectos foi um milagre não ter degenerado.
Com a própria operação, dado ser no local que era, tinham receios de ficar com danos para a vida toda.
Previam uma operação extremamente complicada com uma duração de mais de cinco horas.
Não me podiam dar epidural porque tenho uma hérnia discal.
Havia duvidas se era alérgico à penicilina ou não porque a minha mãe faleceu por causa da penicilina.
Como eu nunca havia tomado nada de penicilina, mesmo fazendo os testes, daria, supostamente, sempre negativo.

Tudo contra.

No fim da operação nem queriam acreditar.
Durou duas horas e oito minutos.
Foi uma operação extremamente limpa.
Nem precisei de levar pontos.
Tiraram-me tudo o que havia para tirar e queimaram alguns polipos pequenos que descobriram na colonoscopia que tinham feito anteriormente.

Estive a soro, antobiótico, remédio para as dores, oxigénio, argaleado e sei lá que mais.
Reagi mal à anestesia, posteriormente.
Deu-me náuseas, vómitos e falta de ar.

Mas... no dia seguinte já me podia levantar.

Do foro psicológico é muito complicado.
Não consigo fazer as necessidades.
Muito Sangue.
Pastas de sangue.

É normal.
Dizem.
Acredito.
Mas abala.
Muito.
É preciso continuar.
Com muita força.

E acreditar.

Tenho de andar mais de três quilómetros todos os dias.
Para os intestinos voltarem a funcionar.

Com toda a certeza que tenho tido alguém a zelar por mim, lá em cima.

Terca feira ligam a dizer o resultado da biópsia final do que me tiraram.

As primeiras Batalhas estão ganhas.
Falta vencer a Guerra.

2 Comments:

Blogger SAM said...

Fico feliz por saber que o resultado final se faz um novo início.

Deixo-lhe uma prece da Fé Bahá'í que creio (e espero) seja do agrado:

"Teu Nome é minha cura, ó meu Deus, e a lembrança de Ti, meu remédio. Aproximar-me de Ti é minha esperança, e meu amor por Ti, meu companheiro. Tua misericórdia por mim é minha cura e meu socorro, neste mundo e no vindouro. Tu, em verdade, és o Todo-Generoso, o Onisciente, a Suprema Sabedoria" (Bahá’u’lláh).

8:06 da tarde  
Blogger **Chronicles/Arclight** said...

li-t ao pormenor meu amigo

ainda bem k as coisas correram assim

mas cá n t ofereciam as condições para t operar?

ou tinhas d ir para a lista d espera?

s calhar era melhor um privado,pena d termos d largar o $ todo.

mas pronto tudo correu assim,melhor.

andar sempre fez bem
e parecendo k não keima calorias

força

precisas dela

abraço

7:41 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home

Tangerine Dream - Love on a Real Train